Grande é o Erro Sobre o Mistério da Piedade

30/01/2020

Grande é o Erro Sobre o Mistério da Piedade

30 de janeiro de 2020

Taió-SC

Diógenes Dornelles

1 Timóteo 3:16

Evidentemente, grande é o mistério da piedade:

"Aquele que foi manifestado na carne foi justificado em Espírito, contemplado por anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, recebido na glória".

O Codex Sinaiticus

Em 1859 um linguista alemão chamado Constantin von Tischendorf, descobriu no mosteiro de Santa Catarina, que ficava no sopé do monte Sinai, o Codex Sinaiticus, que é uma das versões mais antigas da Bíblia existentes até hoje. Com ela, foi possível descobrir algumas alterações e interpolações feitas ao texto original grego, como nessa passagem mencionada acima, onde na maioria das traduções bíblicas que se dispunha até então, aparecia "Deus foi manifestado em carne", do grego "Theon",enquanto o texto do Codex Sinaiticus dizia "Ele" ou "Aquele que foi manifestado em carne", do grego "ho", referência clara ao Senhor Jesus Cristo, e não a Deus precisamente. Todos os textos posteriores do grego sofreram essa modificação, feita provavelmente por algum copista que tentou fazer de Jesus o próprio Deus.

Essa bíblia foi produzida pelo menos 50 anos antes de São Jerônimo traduzir a sua versão do grego para a Vulgata latina em 384, cuja tradução aparecia o termo "quod", ("et manifeste magnum est pietatis sacramentum quod manifestatum est in carne") um pronome relativo neutro, que quer dizer simplesmente "quem", "o qual", ou "aquele". Isso demonstra que até então, no texto grego não aparecia "Deus".

Archibald Thomas Robertson, embora fosse um trinitário, reconheceu - assim como vários outros estudiosos trinitários - que houve, em algum momento, uma manipulação de fato no texto grego original. Hoje, a maioria das boas traduções prefere excluir a palavra "Deus", porque já sabem que se tratou de uma alteração, embora os defensores do trinitarianismo não veem nisso nenhuma ameaça à sua doutrina. Há inúmeras traduções para o português, espanhol, e inglês com a tradução correta "aquele" ou "Ele".

Os Erros de Tradução da Bíblia King James

Na tradução do Rei Tiago em inglês está "Deus", e como era assim que o irmão Branham lia a sua bíblia, era dessa maneira que ele a interpretava para a sua audiência. Mas embora o irmão Branham usasse a tradução do Rei Tiago em inglês, ele sempre criticava algumas palavras da maneira como foram traduzidas para essa versão, e que ao comparar com o léxico grego, se dava conta de que a sua tradução estava errada. No entanto, o irmão Branham ainda achava que era a melhor tradução da Bíblia que ele tinha em mãos para utilizar.

A Ele Ouvi (07/08/1957) § 12 [Sem tradução]

E nós verificamos agora que no Antigo Testamento... Há muitas palavras em nossa nova versão do Rei Tiago que parecem muito estranhas. Mas para mim, vocês, irmãos, podem ensinar a partir de qualquer versão que desejarem, mas eu gosto do Rei Tiago. Apenas parece mais a Bíblia para mim. E há algumas traduções que podem nos parecer um pouco estranhas.

Porém observe que embora o irmão Branham fizesse elogios a essa tradução, houve pelo menos doze passagens bíblicas diferentes dessa tradução que ele precisou dizer que estava incorreta com o original. Obviamente que ele não daria conta de examinar a todos os erros que pudessem haver, mas só pelo fato de vermos ele mencionando a tantos erros que ele mesmo encontrou, sabia que era possível encontrar outras passagens cuja a tradução seria discutível.

A Explicação do Irmão Branham Para Essa Escritura

O irmão Branham usava essa Escritura, assim como outras, para mostrar que Jesus era Deus encarnado, mas Ele nunca usou essa ou qualquer outra Escritura para converter o Filho em uma segunda Pessoa de Deus, ou a um simples e mero ofício, ou ainda como sendo a própria Pessoa de Deus. Ele usava essa Escritura para explicar sobre como Deus Se manifestou em carne humana ao habitar no corpo de Seu Filho. Para isso, ele se baseou não somente nesta Escritura, mas também em outras, procurando dar a compreensão mais bíblica possível sobre o tema, que só é alcançada quando juntamos todas as informações que ele transmitiu sobre isso. Portanto, o irmão Branham cria que Jesus era o Filho unigênito de Deus, e que Seu Pai habitava Nele, e isso fazia de Jesus Deus manifestado em carne.

O Tanque de Betesda (11/08/1950) § 6 [Sem tradução]

E aqui veio Jesus, o Filho de Deus. Bem, Ele era - Ele foi Deus na terra. Ele foi Deus na carne. 1 Timóteo 3:16: "Sem controvérsia, grande é o mistério de Deus, pois Deus Se manifestou em carne". (E agora ele dará a sua explicação para essa Escritura) A Bíblia diz que Deus estava em Cristo reconciliando-Se com o mundo. A única maneira em que Deus poderia fazer-Se conhecido, era viver em Seu Filho, Jesus Cristo, sofrer a morte e a tentação por toda a raça humana. E Ele tinha... todas as qualidades do Pai estavam Nele.

Então, para o irmão Branham, Deus foi manifestado em carne quando Ele passou a viver no Seu Filho, e sabemos que de acordo com a sua teologia, isso só ocorreu após o batismo no rio Jordão.

Paradoxo (6/02/1964) § 282 [Sem tradução]

E este Garotinho, uma criança de doze anos de idade, sem sabedoria de modo algum, ora, mas apenas um Garotinho de doze anos de idade. O Pai não habitava Nele naquele tempo, porque Ele veio no dia em que Ele O batizou, e ele viu o Espírito de Deus descendo, e entrou Nele.

Então o irmão Branham não empregava a manipulação feita em 1 Timóteo 3:16 para alegar que desde a manjedoura, Deus já estivesse manifestado em carne, como fizeram os trinitários e unicistas, visto que o ensino do irmão Branham não seguia o mesmo arcabouço doutrinal de nenhum de seus seminários teológicos.

Um Hino Cantado Pelos Efesianos

A explicação que alguns estudiosos dão, é de que Paulo estaria ali recitando as letras de um hino litúrgico que era entoado nas comunidades da região de Éfeso. Os crentes de Éfeso tinham uma perfeita compreensão da Divindade, e com certeza não teriam feito um hino que fizesse do Filho o próprio Deus. Sendo assim, aquelas palavras não eram de autoria do próprio apóstolo, mas muito provavelmente, o hino foi composto por alguém que pertencia à escola paulina.

Portanto, o que pretendemos fazer agora, é examinar ligeiramente o contexto das palavras daquele hino, e comparar a manipulação da qual muitos tiraram proveito para fazer de Jesus o próprio Deus, com o restante das Escrituras, e inclusive com a própria a teologia do irmão Branham.

O Sentido da Palavra "Piedade" no Original Grego

Primeiro é dito que Alguém foi manifestado em carne, o qual trata-se de uma referência clara ao Filho de Deus. Jesus foi piedoso conosco ao deixar o Seu companheirismo com Deus e vir até nós para assumir uma forma humana pecadora, a fim de ser o nosso parente redentor. Portanto o mistério não tem nada a ver com Deus ter sido piedoso conosco, mas de Seu Filho ter sido.

Antes de recitar as letras do hino, o apóstolo Paulo faz uma introdução dizendo: "Grande é o mistério da piedade". Essa palavra "piedade" foi traduzida do grego "eusebeia" (ευσ εβεια), que significa "reverência, respeito e fidelidade a Deus". Desta maneira, quando se lê essa afirmação, juntamente com o texto manipulado a seguir, de que "Deus foi manifestado em carne", à primeira vista, acredita-se que a piedade partiu Daquele próprio Deus que Se encarnou. Porém, tente aplicar o sentido correto da palavra "eusebeia" com a Pessoa do próprio de Deus. Como Deus poderia ser respeitoso, reverente e fiel a um outro Deus além Dele mesmo? Impossível. No original grego, essa palavra jamais é aplicada ao próprio Deus como praticando tal ato, seja no Antigo ou no Novo Testamento. Essa é uma atitude exercida exclusivamente pelos filhos de Deus, e não pelo próprio Deus. E por incrível que pareça, a palavra "piedade" em inglês, "godly" ou "godliness", seguiu exatamente o mesmo sentido do original grego, que quer dizer "ser devoto a Deus", e em nenhuma ocasião no texto inglês, é dito que Deus praticou "godliness", uma vez que ser devoto , fiel e respeitoso para com Deus, é uma ação a ser perpetrada não por Deus mesmo, mas por cada filho eleito, a começar pelo nosso Irmão mais Velho.

Quando se entende o sentido correto dessa palavra e de como ela era empregada no grego, é possível entender melhor o que Paulo quis dizer acerca dos ungidos dos últimos dias, os quais teriam uma forma de piedade, o que significa que eles mostrariam ser devotos a Deus a fim de agradá-Lo, mas suas obras provariam que eles eram falsos.

Portanto, se levarmos em consideração o sentido que a palavra "piedade" possui no grego, seria uma incongruência bíblica chamar Deus de "piedoso", pois Ele não tem um outro Deus além Dele mesmo para se voltar e agradar. É por isso que em toda a bíblia em inglês do Rei Tiago, você nunca verá Deus sendo chamado de "piedoso" ou que sente piedade por alguém, porque essa palavra não possui o mesmo sentido para o nosso idioma.

Na língua portuguesa, o termo "piedade" apresenta um sentido diferente do grego e do inglês. De acordo com os nossos dicionários, "piedade" quer dizer "devoção", "compaixão pelo sofrimento alheio"; "comiseração", "dó", "misericórdia". Então, segundo o nosso vernáculo, seria perfeitamente normal dizer que Deus é piedoso, pois o sentido que essa palavra possui no português é muito diferente do aplicado no grego ou no inglês. Para nós, faz sentido dizer que Deus é piedoso, mas de acordo com o léxico grego, essa não seria uma forma adequada de se expressar.

Sendo assim, no sentido lato do termo, não faria sentido Deus ser piedoso, ou seja, voltar-Se para um outro Deus, porque como já dissemos, não há outro Deus a Quem Se dirigir senão Ele mesmo, e é esse o sentido da palavra "godly".

Nas nossas bíblias, há traduções onde Deus é chamado de "piedoso", enquanto que no Rei Tiago, a palavra correspondente é "mercy", que quer dizer "misericordioso", e nas nossas bíblias, principalmente nos Salmos, "mercy" foi traduzido por "piedoso". Mas como já esclarecemos, tanto para o grego, como para o idioma inglês, seria uma incongruência chamar Deus de "piedoso", devido ao sentido que essa palavra possui naqueles idiomas.

Jesus, o Filho Piedoso

Para o irmão Branham, era perfeitamente normal chamar Jesus de "piedoso", tendo em vista que Ele, como o Seu Filho unigênito, foi devoto, respeitoso e fiel a Deus.

A Obra-Prima (05/07/1964)

Então aperfeiçoou um Redentor do homem, tão perfeito, tão piedoso (Ainda que não houvesse nenhuma beleza para que O desejássemos), quando esse Filho do Deus vivo de nascimento virginal se torna tão perfeito, e humilde, e à imagem de Deus, até que o grande Mestre que tinha trazido Sua vida através dos profetas (e Ele foi o cumprimento de todos os profetas)... Ele era tão perfeito, até que Deus vendo isso O feriu e clamou: "Fala!" como Michelangelo fez: "Fala!".

O irmão Branham disse que Jesus, o Filho de Deus era piedoso, perfeito e humilde, e isso porque Ele tinha a mente de Deus Nele. Mas aqui o irmão Branham também disse que Deus aperfeiçoou Jesus para ser um Redentor perfeito e piedoso. Deus não precisa ser aperfeiçoado porque Ele já é perfeito, mas o Seu Filho precisou, e Ele só Se tornou perfeito quando Deus entrou Nele no rio Jordão. Mas aqui também diz que Ele era piedoso, e essa palavra "piedoso" significa "piedade", "que se caracteriza por uma atitude voltada a Deus", e essa piedade é expressa nas ações que são centradas em Deus e com o objetivo de agradar a Deus. Portanto, uma fé piedosa terá esse fim e objetivo, e era essa fé que Jesus tinha, uma fé piedosa para servir a Deus.

Portanto, quando o irmão Branham diz aqui que Jesus era piedoso, ele está nos mostrando que Jesus Cristo não era Deus, mas tudo que Ele fez foi com a intenção de servir e agradar ao Seu Deus e Pai, e a Ele somente. Essa era a mente que Ele possuía, e essa é a mente que todos nós devemos ter.

Então quando lemos sobre o grande mistério da piedade, temos que fazer a seguinte pergunta: piedade de Quem? De Deus ou de Seu Filho? Se alguém nessa Mensagem não conseguir entender sequer essa primeira parte, não conseguirá compreender o resto. E infelizmente, é o que está sucedendo. Porque, como alguém nessa Mensagem vai compreender o mistério da piedade, se o próprio sentido bíblico da palavra "piedade" já é um mistério para eles? Se eles nem sequer entenderam o sentido dessa palavra nas Escrituras, como entenderão o mistério? É por isso que nunca alguém poderá receber a revelação das Escrituras, sem primeiro entender o que elas estão dizendo, pois não pode haver uma revelação espiritual da Palavra sem primeiro haver um ensino para a compreensão da mesma.

O Filho Unigênito de Deus Foi Manifestado em Carne

Como pudemos observar, a manipulação do texto, substituindo "Aquele" por "Deus", cria uma contradição com o seu próprio contexto, uma vez que tenta fazer de Deus mesmo o autor dessa piedade, sugerindo que ela teria partido do próprio Deus por Ele ter vindo em carne. Sendo assim, se o foco desde o início for voltado à Pessoa do próprio Deus, todos falharão no alvo.

Mas nós já estamos entendendo que aqui está tratando do grande amor de Jesus para com Deus, que provou Sua devoção a Ele, aceitando vir até nós em uma forma humana a fim de atuar como um Parente Redentor, em obediência ao Pai, que assim o desejou. Com isso, também podemos dizer que Cristo teve piedade de nós, pois embora Ele tivesse uma preexistência com o Pai, abandonou a glória que tinha com Deus para vir até nós manifestando-Se em carne para nos resgatar. Portanto, essa piedade foi devido a obediência de nosso Senhor Jesus Cristo a Deus ao desejar fazer a Sua vontade.

Paulo fala mais acerca dessa piedade do Filho na sua carta aos filipenses.

Filipenses 2:5-8

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, (Ele estava em uma teofania, e lá o Seu corpo era do próprio Deus Jeová) não teve por usurpação ser igual a Deus, (o Filho unigênito sabia que não era Deus) mas esvaziou-Se a Si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-Se semelhante aos homens; (Ou seja, manifestando-Se em carne. Paulo aqui está falando do Filho, e não de Deus manifestado em carne, embora o Seu Pai também Se manifestaria assim, mais tarde) e, achado na forma de homem, humilhou-Se a Si mesmo, sendo obediente até à morte, (Essa obediência é com relação a Deus; portanto Paulo está falando não de Deus manifestado em carne em obediência a um outro Deus, mas sim da manifestação em carne do Filho unigênito) e morte de cruz.

Paulo está falando aqui da humildade e da piedade que Cristo teve por nós, da mesma maneira como o irmão Branham disse que Deus fez do Seu Filho um Redentor perfeito, piedoso e humilde.

Vindicado Pelo Espírito Santo

Depois a letra do hino prossegue dizendo que Ele foi justificado no Espírito. Esse "espírito" parece tratar-se não exatamente do próprio espírito de Jesus, mas do Espírito Santo. E essa palavra "justificado" dá ares de não possuir o mesmo sentido para os demais cristãos, que são justificados pela sua fé em Cristo, mas essa palavra possui aqui o sentido de "vindicado". Ou seja, Aquele que foi manifestado em carne, foi vindicado pelo Espírito Santo por meio das obras que Ele fez. Mais uma vez observamos que não faria sentido algum dizer que Deus foi justificado, no sentido de vindicar-Se a Si mesmo, mas Ele vindicou ao Seu Filho.

Portanto, o sentido dessa palavra é de que Jesus foi mostrado ser o Filho de Deus pela ação do Espírito Santo. Esse mesmo Espírito Santo forneceu a evidência de que Jesus era o Filho de Deus, quando desceu sobre Ele em Seu batismo para vindicá-Lo, e a justificação ou vindicação desse Filho foi demonstrada pela Escritura que diz que a Jesus o Espírito foi derramado sem medida, o que significa que tudo que Ele fez e ensinou foi vindicado pelo Espírito.

João 3:34

Porque Aquele que Deus enviou fala as Palavras de Deus; pois não Lhe dá Deus o Espírito por medida.

Embora Ele tenha Se manifestado em carne, Seu nascimento não foi natural. Jesus não era filho gerado pela concepção sexual, mas foi gerado pelo Seu Pai, o Espírito Santo. Embora estivesse entre nós como Homem, Ele não era um filho de pais naturais. Seu Pai era o Espírito Santo.

Cuidado Pelos Anjos

"Visto por anjos" ou "contemplado por anjos" significa que durante o tempo em que Ele esteve na carne, o Filho de Deus ficou aos seus cuidados. Os anjos estiveram presentes para dar testemunho de Quem era Aquele manifestado em carne e qual era a Sua procedência.

Lucas 2:9-13

E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor. E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor. E isto vos será por sinal: Achareis o menino envolto em panos, e deitado numa manjedoura. E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus, e dizendo: Glória a Deus nas alturas, (observe que os anjos não estavam dizendo que era Deus naquela manjedoura, mas o Seu Filho. Para eles, Deus ainda continuava nas alturas) Paz na terra, boa vontade para com os homens.

Mateus 4:11

Então o diabo O deixou; e, eis que chegaram os anjos, e O serviam.

Lucas 22:41-43

E apartou-Se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-Se de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, passa de Mim este cálice; todavia não se faça a Minha vontade, mas a Tua. E apareceu-Lhe um anjo do céu, que O fortalecia.

Lucas 24:3-6

E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus. E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes. (Eram anjos) E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia...

Hebreus 1:6

E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz: E todos os anjos de Deus O adorem.

Por todas estas Escrituras podemos ver que os anjos foram os assistentes de Seu ministério, e vieram a Ele em tempos de angústia, perigo e falta. Eles sentiam interesse Nele e em Seu trabalho, e vieram alegremente a Ele em Suas tristezas e problemas.

A Salvação Chegou às Nações

Depois o hino diz que o Filho foi "pregado aos gentios". Essa palavra "pregar" não está se referindo ao sufrágio da cruz, mas da ministração da Palavra. E isso não está tratando exatamente de quando Ele esteve em carne, mas depois que Ele partiu, pois sabemos que Jesus primeiro pregou o Seu Evangelho somente para os da casa de Israel. Foi depois por intermédio de Seus discípulos, que a Palavra da salvação chegou para os gentios. Portanto aqui, agora, está falando de um mistério dentro de outro mistério.

Isso foi um grande mistério, pois os judeus consideravam o resto da humanidade excluído das misericórdias da aliança de Deus, ao ponto em que Paulo disse que os judeus são nossos inimigos por causa desse evangelho que eles rejeitaram.

Colossenses 1:26-27

O mistério que esteve oculto desde todos os séculos, e em todas as gerações, e que agora foi manifesto aos seus santos; aos quais Deus quis fazer conhecer quais são as riquezas da glória deste mistério entre os gentios, que é Cristo em vós, esperança da glória.

1 Timóteo 2:4-7

Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que todos os homens se salvem, (os judeus e os gentios da eleição) e venham ao conhecimento da verdade. Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. O qual se deu a Si mesmo em preço de redenção por todos, (Ou seja, judeus e gentios. Até então os judeus pensavam que só eles poderiam ser salvos) para servir de testemunho a seu tempo. Para o que (digo a verdade em Cristo, não minto) fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios na fé e na verdade.

Passagens como estas são usadas inclusive pelos arminianistas, a fim de negar a predestinação, e de que a salvação estaria disponível para todos, até mesmo para a descendência da serpente. O que Paulo ensinava é que essa salvação está agora disponível para todos os que foram eleitos a crer, sem diferença.

Romanos 3:22

Isto é, a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo para todos e sobre todos os que creem; porque não há diferença.

Então quem criou a letra daquele hino, realmente deve ter sido um discípulo de Paulo, pois os judeus tinham uma dificuldade muito grande de aceitar esse mistério. Então o Filho unigênito foi piedoso ao ser obediente ao Seu Deus, aceitando morrer por nós, gentios, sabendo que isso fazia parte do eterno programa de Seu Pai.

Crido Por Todos os Que Lhe Aceitaram

Depois o hino diz "Crido no mundo". Quem foi crido no mundo? Não está falando de Deus, mas do Seu Filho. O hino simplesmente diz que por todos os lugares em que o Filho de Deus fora anunciado, Sua Igreja ia tomando forma entre aqueles que O confessavam como a propiciação provida por Deus para remissão de Seus pecados. Apesar de toda a oposição que Satanás poderia fazer frente a esse evangelho, os resultados por si só davam demonstrações de que Deus estava vindicando o Seu Filho e à posição de autoridade que Lhe foi dado, e vindicando a tudo que o Senhor Jesus disse que ocorreria àqueles que cressem Nele e no Seu evangelho.

Marcos 16:16-18

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em Meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.

Todos esses sinais estavam se cumprindo pela fé que muitos estavam tendo no Filho de Deus. O evangelho não somente estava sendo pregado na Palestina, mas também na Europa.

O Filho é Recebido em Glória nos Céus

Depois é dito que o mesmo que foi piedoso e manifestado em carne foi "recebido na glória". Mais uma vez somos forçados a perguntar: Quem? Deus ou o Seu Filho? Se aqui está se referindo a Deus, como querem os trinitários e unicistas, em que momento isso sucedeu? Quando Deus foi recebido em glória?

Segundo a teologia de William Branham, Deus deixou o Seu Filho no Getsêmani. Seria nesse momento que Deus teria subido de volta ao Seu trono para ser recebido em glória enquanto o Seu Filho era levado ao madeiro? Ou será que Ele teria esperado o Seu Filho ressuscitar para então subir aos céus junto com Ele? Nada disso faria sentido algum, tendo em vista que segundo o irmão Branham, Deus mesmo foi Quem recebeu ao Seu Filho no céu em grande glória. Deus já estava no céu aguardando pelo Seu Filho, pois ao ressuscitar, disse para a mulher: "Vá e diga aos Meus irmãos que Eu subo ao Meu Pai e vosso Pai; Meus Deus e vosso Deus". Então Deus já havia subido, mas era o Seu Filho que seria recebido em glória nos Céus. Seu Pai estava assentado no trono aguardando pelo Seu Filho.

O Poderoso Conquistador (10/01/1958) § 23 [Sem tradução]

Os Anjos cantavam e louvavam a Estrela da manhã enquanto ela Se movia pela rua como o poderoso Conquistador que havia vencido os pecados do mundo e que havia trazido os justos triunfantemente. Lá embaixo através da cidade eles foram, até chegarem ao trono. Lá no trono Se assenta o poderoso Jeová. E quando Jesus veio ao trono, caiu de joelhos e disse: "Pai, concluí aquela obra que Me deste para fazer. Eu paguei a dívida pelo pecado. Tenho tanto as chaves da morte como do inferno, e o Teu inimigo está derrotado. E estes são os que esperaram pacientemente por esta hora". E eu posso ver o Pai, quando Ele disse: "Suba até aqui no Meu trono, Meu Filho, e Se assente aqui até que Eu faça de todos os inimigos o escabelo dos Teus pés". Lá Ele Se assenta, o poderoso Conquistador.

Aquele que foi manifestado em carne, ao subir aos Céus, foi recebido em grande glória por ter sido um Filho perfeito, piedoso, humilde e obediente a Deus até a Sua morte, razão pela qual, Ele foi achado digno de tomar o livro das mãos de Deus, Seu Pai.

Apocalipse Capítulo Cinco Nº. 2 (18/06/1961) § 135

...E tão logo ele anunciou: "Quem é digno?", ele estava anunciando a vinda do Parente Redentor. (Este Parente Redentor aqui é o Filho de Deus, que como disse o apóstolo Paulo, é o "primogênito entre muitos irmãos", ou seja, nosso irmão mais velho, portanto parente. Agora observe:) E aqui estava Ele, um Cordeiro. (Ou seja, este é Cristo, o Filho de Deus) E o que Ele fez? Foi até o trono onde o Espírito de Deus estava, (Este NÃO É o Filho de Deus, mas o Pai de Cristo, Deus, que é o Espírito Santo; Aquele que havia deixado no Gêtsemani. Então Deus não subiu com o Seu Filho. Ele já estava ali antes para recebe-Lo em glória juntamente com os Seus anjos. Mas como os crentes pensam que foi Deus mesmo que subiu e foi recebido em glória, acabam fazendo uma grande confusão, como colocar uma vaca pastando em cima de árvore) e tomou o Livro da mão direita Daquele que estava assentado sobre o trono. E todos os anciãos se prostraram e disseram: "Tu és digno, porque Tu foste morto." Vê?

O irmão Branham está citando o livro de Apocalipse.

Apocalipse 5:6-13

E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, (Está falando daquele que foi manifestado em carne) e tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra. E veio, e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono. (Tomou o livro das mãos de Deus) E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; e para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra. E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças. (É esse o momento que o Aquele que foi piedoso e manifestado em carne foi depois recebido em glória nos Céus) E ouvi toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre.

Então, por tudo que foi visto até aqui, podemos concluir que o hino estava fazendo menção do Filho de Deus que foi manifestado em carne, na semelhança dos homens, a fim de ser apresentado em sacrifício perfeito para o Seu Deus e Pai. Isso era um grande mistério que esteve oculto pelos séculos, mas aprouve a Deus revelar o Seu programa para a Sai Igreja.