Os Paradoxos de Cristo

09/12/2016

Os Paradoxos de Cristo

Cardoso Moreira-RJ

9 de dezembro de 2016

Diógenes Dornelles

Um dos temas que o irmão Branham apreciava pregar era sobre paradoxo. Ele pregou pelo menos seis sermões com esse título, mostrando-nos que esse era um tema bíblico que ele apreciava muito explorar.

Ao buscarmos pelo significado da palavra "paradoxo" podemos encontrar o seguinte conceito:

Paradoxo é o oposto do que alguém pensa ser a verdade ou o contrário a uma opinião admitida como válida. Um paradoxo consiste em uma ideia incrível, contrária do que se espera. Também pode representar a ausência de nexo ou lógica. Paradoxo vem do latim (paradoxum) e do grego (paradoxos). O prefixo "para" quer dizer "contrário a", ou "oposto de", e o sufixo "doxa" quer dizer "opinião, juízo".

Então um paradoxo é algo que parece contrário ao senso comum, mas que se mostra verdadeiro pelos seus resultados. Um paradoxo é o contrário daquilo que muitos acham que deveria ser o correto.

O irmão Branham listava várias situações paradoxais da Bíblia, das quais poderíamos mencionar aqui apenas algumas delas, como o sol que ficou imóvel nos dias de Josué; a escolha de Abraão para ser o pai de uma grande nação, mesmo sendo sua esposa estéril; o dilúvio nos dias de Noé quando não se via notícias de chuva, etc.

O irmão Branham também gostava de usar paradoxos para se referir a si mesmo e à sua própria maneira de ensinar. Ele costumava dizer que era mais feliz sendo visto como louco após ter conhecido a Cristo, do que quando ele tinha ainda o seu "juízo perfeito" por ainda não conhecê-Lo.

Divindade Explicada (25/04/1961) § 2

Meu próprio povo me expulsou, e eles decidiram me mandar embora porque eu tinha ficado louco. E eu descobri, e eu tenho normalmente dito isto como que numa maneira um pouquinho indireta: "Se eu estou louco, deixe-me em paz, porque eu estou mais feliz desta maneira do que eu estava com meu juízo perfeito." Sim, senhor. Obrigado. Deixe-me... Assim que isso é de certo modo uma pequena filosofia que eu possuo, minha própria.

Os Paradoxos do Apóstolo Paulo

O Antigo Testamento também possui vários exemplos de paradoxos, e o apóstolo Paulo também tinha a sua própria lista de paradoxos, baseado tanto no ensino das Escrituras como nos ensinos de Jesus. Aqui estão algumas declarações paradoxias que Paulo fez:

1 Coríntios 7:22

Porque o que é chamado pelo Senhor, sendo servo, é liberto do Senhor; e da mesma maneira também o que é chamado sendo livre, servo é de Cristo.

2 Coríntios 6:9-10

Como desconhecidos, mas sendo bem conhecidos; como morrendo, e eis que vivemos; como castigados, e não mortos; como contristados, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, e possuindo tudo.

2 Coríntios 12:10

Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.

Filipenses 3:7

Mas o que, para mim, era lucro, isto considerei perda por causa de Cristo.

1 Coríntios 3:18

Se alguém dentre vós se tem por sábio neste mundo, faça-se louco para ser sábio.

Os Paradoxos de Jesus

Mas é sobre os paradoxos que Jesus criou que nós iremos nos deter mais neste estudo. Jesus falava muitas vezes na forma de paradoxos. Suas pregações estavam cheias de paradoxos. No sermão da montanha vemos Ele dizendo: "Bem-aventurados os que choram porque serão consolados". "Se qualquer te ferir na face direita, volta-lhe também a outra"; "Os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos". "Todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado."

A própria vida e o ministério de Jesus Cristo era um paradoxo. Ele teve fome, mesmo tendo o poder de alimentar a muitos. Teve sede, mesmo sendo Ele a Água da Vida; sentiu cansaço, mesmo tendo sido enviado para nos oferecer descanso; chorou mesmo sendo Aquele que enxuga as nossas lágrimas; foi vendido por 30 moedas de prata, mesmo sendo Ele enviado por Deus para nos comprar; foi levado como uma ovelha ao matadouro, mesmo sendo Ele mesmo o nosso Pastor.

Um Jugo Suave e Um Fardo Leve

Podemos observar que Jesus gostava muito de fazer paradoxos, dizendo que se você quisesse ser salvo ou entrar no reino dos céus deveria fazer coisas que seriam consideradas exatamente contrárias ao senso comum. Normalmente pensaríamos que o correto seria de Jesus vir até nós para tirar os nossos fardos e nossos jugos, porém ao invés disso, Ele disse que veio até nós para fazer justamente o contrário, que foi nos trazer mais fardos e cargas para carregarmos, porém Ele disse que tais fardos são muito mais leves em comparação com aqueles que o homem nos dá.

Mateus 11:28-30

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o Meu jugo, e aprendei de Mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o Meu jugo é suave e o Meu fardo é leve.

Os fardos que o homem nos dá são muito pesados, tanto que nem ele mesmo ousa carregar, mas os fardos que Deus nos dá são suaves e leves. Isso é um paradoxo. Jesus não estava dizendo que seria fácil segui-Lo, mas que com Ele tudo seria muito mais suportável. O nosso fardo se torna leve porque Ele prometeu que estaria conosco para nos ajudar a levar. Porém muitos hoje não conseguem suportar os fardos leves de Cristo porque preferem carregar os seus próprios cargos sozinhos ou da sua própria maneira, seguindo ao seu próprio mecanismo, quando Deus já tem providenciado o Seu mecanismo para dar resistência a toda perseguição e opressão que Satanás tente impor sobre os filhos de Deus. Temos que nos alinhar com este mecanismo de Deus que é o Seu Espírito, pois é pelo Espírito Santo que nos movemos corretamente pela Palavra.

A Personificação do Cristianismo (27/01/1957) § 46 [sem tradução]

Essa é razão pela qual um ventinho os sopra para fora. Essa é a razão pela qual tomamos milhares de membros por ano e o vento os sopra para fora. A primeira perseguiçãozinha, eles não conseguem suportar isso. A primeira feridinha que aparece...?... a cruz e eles jogam isso fora. Eles ainda não se alinharam. Vê? Deus alinha a cruz para você. "Tomai sobre vós o Meu jugo, e aprendei de Mim. O Meu jugo é suave". Claro que é. Foi ele inventado no mecanismo de Deus? Seu mecanismo agora não está ligado a alguma teologia ou a algum feito intelectual, mas receba o batismo do Espírito Santo. Então você começa - o mecanismo começa a mover você, não você movendo isso e tentando: "Ora, aqui está do jeito que eu acho que deveria ser". Deus disse que é desta maneira que deveria ser. É pelo Espírito Santo que se move corretamente na Palavra. E você simplesmente se move o tempo todo. É tão suave quando você faz isso.

As Obras de Deus

João 6:27-29

Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; porque a este o Pai, Deus, O selou. Disseram-Lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus? Jesus respondeu, e disse-lhes: A obra de Deus é esta: Que creiais Naquele que Ele enviou.

Aqui Jesus disse que o povo de Deus precisava trabalhar para obter a vida eterna, e isso deve ter causado uma certa inquietação em Seus ouvintes, porque se os líderes que se assentavam na cadeira de Moisés já estavam lhes dando tantas obras a serem executadas para que o povo alcançasse a sua justiça perante Deus, quantas obras mais o Senhor Jesus não iria agora lhes sugerir para que fossem praticadas? Se todos os rudimentos da lei e mais os seus 613 mandamentos - conhecidos como mitzvot - foram inúteis para aperfeiçoar quem quer que vivesse pela Lei de Moisés, que obras a mais Jesus agora iria ordenar para que fossem justificados? Para a surpresa de todos, Jesus disse que a única obra que eles precisariam realizar seria a de somente crer no Filho de Deus e mais nada. Esse era outro dos Seus fardos que o povo deveria carregar. Mas veja que Jesus não estava alterando ou modificando a lei por isso, porque a mesma Lei havia dito que todas as obras de justiça que o homem fizesse eram vistas por Deus como trapos de imundícia.

Isaías 64:6

Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo da imundícia; e todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades como um vento nos arrebatam.

Portanto esse é outro paradoxo que nós encontramos aqui, porque a fé é um dom gratuito que foi dado como resultado de uma obra que já foi feita no nosso lugar. Portanto não há nenhuma obra mais a ser feita na qual pudéssemos nos orgulhar, a não ser crer Naquele que Deus enviou e aceitar o que Ele fez no nosso lugar.

Efésios 2:8-9

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.

O Príncipe da Paz Que Não Veio Trazer Paz

Outros paradoxos que vemos Jesus criar são aqueles onde Ele parecia entrar em conflito com suas próprias Palavras. Vejamos um exemplo.

Mateus 10:34-37

Não cuideis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; porque Eu vim pôr em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra; e assim os inimigos do homem serão os seus familiares. Quem ama o pai ou a mãe mais do que a Mim não é digno de Mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a Mim não é digno de Mim.

E em outra ocasião Ele será ainda mais enfático:

Lucas 12:49

Eu vim para lançar fogo sobre a terra e bem queria que já estivesse a arder.

Jesus aqui está Se referindo ao juízo que ainda terá que vir sobre a terra para cumprir as Escrituras que dizem que os moradores da terra serão queimados.

Isaías 24:6

Por isso a maldição tem consumido a terra; e os que habitam nela são desolados; por isso são queimados os moradores da terra, e poucos homens restam.

O apóstolo Paulo disse que será o próprio Senhor Jesus Cristo Quem virá para vingar os que não quiseram conhecer a Deus e que rejeitaram o Evangelho.

2 Tessalonicenses 1:7-8

...Quando se manifestar o Senhor Jesus desde o céu com os anjos do Seu poder, como labareda de fogo, tomando vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

Porém tudo isso foi um verdadeiro paradoxo, porque embora Ele tenha dito que não veio para trazer paz, as Escrituras falavam de Jesus como sendo o Príncipe da Paz.

Isaías 9:6

Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.

E em outra ocasião Ele mesmo disse que veio trazer a paz.

João 14:27

Deixo-vos a paz, a Minha paz vos dou; (Como isso é possível se Ele disse que não veio trazer paz, mas a espada?) não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize.

Então quando Jesus disse que Ele traria espada ao invés de paz, é porque Ele estava se referindo à dissensão que seria criada entre aqueles que creriam no Evangelho e aqueles que O rejeitariam, pois as mesmas águas que livraram Noé e toda sua família julgou toda a geração incrédula do seu tempo. Portanto o Príncipe da paz só viria trazer paz para aqueles que O recebessem.

Israel e a Igreja Nº. 4 (28/03/1953) § 112

"Eu não vim trazer paz, mas espada. Eu vim separar pai e mãe, marido, esposa, irmão e tudo mais. E aquele que não se negar a si mesmo e Me seguir, não é digno de ser chamado Meu. E aquele que põe a mão no arado e olha para trás não é digno." Isso mesmo.

Portanto Jesus estava dizendo que Ele veio para trazer separação entre as duas vinhas, porque sempre que as duas se encontram existe um confronto devido a sua dissensão e então Cristo vem com Sua Palavra que é como uma espada para separar as duas vinhas e colocá-las em seus destinos distintos.

Uma Exposição das Sete Eras da Igreja, pág. 329

Tempo de colheita. Sim, tempo de colheita. As duas vinhas, que cresceram juntas e entrelaçaram seus ramos, agora devem ser separadas. Os frutos dessas vinhas que estavam em tal dissensão serão recolhidos em celeiros distintos. Os dois espíritos irão para os seus diferentes destinos.

Jesus estava com o Seu paradoxo referindo-Se ao juízo que deve vir para todos aqueles que O rejeitassem.

O Caminho Provido Por Deus (13/06/1953) § 7 [sem tradução]

Quando você rejeita Jesus Cristo, o Salvador e Deus, você não precisa ser julgado, você já está julgado. Sua atitude com relação ao caminho provido por Deus julgou você.

A Fé Que Uma Vez Foi Entregue aos Santos (10/06/1957) § 48 [sem tradução]

Cristo virá. Ele será o juiz. Mas antes que Ele possa trazer juízo, Ele tem que oferecer misericórdia para ser um Deus justo. E se Ele oferece misericórdia e a misericórdia é rejeitada, então não há nada a não ser juízo. E você se julgou ao rejeitá-Lo. Não o rejeites mais.

A Rainha de Sabá (05/04/1959) § 11 [sem tradução]

Quem lê as Escrituras sabe que quando Deus envia um dom para a terra, e as pessoas rejeitam esse dom, é sempre o caos para aquela geração. Eles nunca prosperam. Eles acabam em juízo sobre as nações. E se eles aceitam o dom que Deus envia, é geralmente um milênio para essas pessoas. Elas são abençoadas.

Então esse é um dos grandes paradoxos que encontramos com o Evangelho de Cristo, porque ao mesmo tempo em que Ele nos traz a paz por vivermos nossas vidas para Ele, somos oprimidos por causa dessa mesma paz que Ele nos dá quando nos defrontamos com os que a rejeitaram, sejam eles estranhos ou mesmo familiares, porque a perseguição virá.

Mateus 10:21-22

E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai o filho; (Isso pode ser tanto a morte física, como pode se matar também de se matar a influencia do outro) e os filhos se levantarão contra os pais, e os matarão. E odiados de todos sereis por causa do Meu nome.

É Necessário Morrer Para Poder Viver

João 12:24

Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto.

Esse paradoxo que Jesus pregou é muito conhecido. Como o grão de trigo precisa ser enterrado no solo para depois germinar, da mesma maneira não poderemos dar frutos, sem que antes o meu eu pecador seja sepultado. Portanto ninguém pode viver como um cristão sem primeiro a sua vida pecadora morrer. Então eu não posso viver até que eu primeiro morra, pois jamais frutificarei para Deus se primeiro não mortificar em mim tudo aquilo que impeça de Deus Se manifestar. A vida somente pode vir depois da morte.

As Sete Eras da Igreja (12/05/1954) § 168 [sem tradução]

Um homem não pode unir-se a uma igreja, ou se emocionar todo, ou qualquer outra coisa, e se tornar um cristão. Tem que ser um nascimento sólido do Espírito; sinceramente morrendo, clamando, deitado ali até que ele morra em Cristo. Lembre-se, a vida somente pode vir da morte. (Esse é um grande paradoxo) Um grão de milho, se ele permanece, permanece só; isso nunca significará mais do que um grão de milho. "Se um grão de trigo não cair na terra, permanecerá sozinho". Mas quando cai ali, se apodrece, se contamina; e sai daquele meio de corrupção, vem o germe da vida que lhe dá vida e produz mais. A menos que a igreja nasça de novo, morra para os seus credos e teologias, e assim por diante, e nasça de novo do Espírito de Deus, ela será velha, fria, formal, ímpia, indiferente. Amém. Isso mesmo.

Relato da Viagem à Índia (26/01/1957) § 26 [sem tradução]

Agora, sabemos que é bom ter igrejas. Isso é maravilhoso. Sabemos que é bom ter denominações. Elas são maravilhosas. É bom ter - ter seminários. É maravilhoso. Mas Cristo nunca nos disse para edificarmos qualquer seminário ou algo assim. Ele disse: "Pregue o Evangelho". E o Evangelho não é apenas Palavra, mas por meio do poder e manifestação do Espírito Santo, que produziria os sinais de Marcos 16, quando Ele disse: "Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda criatura". A própria Palavra está morta até que se torne uma ação e produza vida. E, a menos que um grão de trigo caia no chão, ele permanece só. E então, quando a Palavra é trazida para um coração de fé, isso faz com que todas as promessas na Bíblia vivam novamente. Vê? Isso - isso irá... Isso - isso tem que viver. É uma Palavra germinada e deve viver se for recebida no lugar certo. Sob as condições certas, cada semente viverá novamente, se for colocada sob a condição certa. E irmãos, que eu possa dizer isto com reverência e respeito a vocês como meus irmãos, sabendo que talvez antes que anoiteça todos nós estaremos no tribunal de Cristo no céu... E olhe, que eu possa dizer isto: essa é a atmosfera que sempre traz à existência o - o produto. Vê?

Por quê? (26/11/1960) § 38 [sem tradução]

A vida vem da morte. A menos que um grão de trigo caia no chão e morra, ele permanece só. Mas contanto que ele morra e apodreça, então daquela sujeira podre surge a vida. Até que um homem ou uma mulher esteja pronto a morrer para si mesmo, morrer para os seus credos, morrer para as suas próprias ideias, e aquela sujeira podre produza um novo nascimento de glórias e gritos e louvores à Deus que o faz agir diferente, que muda a sua vida, muda a sua natureza, muda os seus motivos e muda os seus objetivos...

Então não há outra maneira de vivermos, sem que antes estejamos mortos e Paulo disse que se morremos com Cristo, nossas vidas estarão escondidas Nele.

Colossenses 3:3

Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.

É Preciso Perder a Vida Para Encontrá-La

Outro maravilhoso paradoxo de Jesus era o de que você precisa perder a sua vida se você quiser algum dia reavê-la novamente.

Mateus 16:25

Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.

Mas como podemos perder nossas vidas para que elas sejam salvas? Em um estudo bíblico para crianças, após o irmão Branham ter lido essa mesma passagem de Mateus 16:25, ele explicará essa Escritura a elas da seguinte maneira:

Ensino Sobre Moisés (13/05/1956) § 65 [sem tradução]

Agora, meninos e meninas, vocês sabem de uma coisa? Há muitas coisas no mundo que são realmente valiosas. E uma dessas coisas é, vocês tem isso com vocês hoje; é a alma que está dentro desse corpo. E essa é a coisa mais valiosa do mundo para você. É isso mesmo, mãe? Diga "amém". [As mães dizem: "Amém" - Ed.] A coisa mais valiosa que você tem é a sua alma. E agora, se você guardar a sua alma, então você irá perdê-la. E se você perder a sua alma, então você irá salvá-la; (então agora ele explica) se você perder a sua alma para Jesus. Vê? Em outras palavras, se você crê em Jesus, você se torna Seu discípulo. E então se você der a sua vida a Jesus enquanto você é jovem assim, e então você irá... Ele vai salvá-la para a Vida Eterna. Mas se você - se você quiser guardá-la, você irá perdê-la; sim, você irá perdê-la. Se você quiser agir como essas outras meninas e meninos por aqui, e sair e fazer o que eles fazem, então você irá - você está - você irá perdê-la. Mas se você quiser dar a sua vida para Jesus, então você irá salvá-la para a eternidade e para sempre.

Aqui o irmão Branham resumiu dizendo que perder a vida para poder obtê-la significa dá-la para Jesus e deixar que Ele seja o nosso Senhor, renunciando a tudo aquilo que só poderia satisfazer ao nosso ego, mas não a Deus e Sua Palavra. Aquele que renuncia a este mundo e ao que ele oferece, terá uma recompensa eterna que será a salvação da sua alma.

Deus disse em Sua Palavra que é desejo Dele nos salvar, mas uma vida de pecado faz separação entre Ele e o pecador.

Isaías 59:2

Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o Seu ouvido, para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o Seu rosto de vós, para que não vos ouça.

A Aposta Pascalina

O filósofo francês Blaise Pascal soube mostrar racionalmente o quão insensato é a incredulidade humana em um Deus misericordioso e que está sempre disposto a mostrar o Seu amor para aqueles que O temem. Ele desenvolveu o que ficou conhecida como "aposta pascalina", onde ele mostrou as situações que poderiam ser favoráveis ou não à crença em um Deus. Supondo que há uma recompensa para aqueles que creem na vida eterna e que esperam por ela, Pascal criou duas situações adversas e suas possíveis consequências. Em uma primeira situação poderíamos sugerir a hipótese de que Deus de fato não existe. O que aconteceria para o crente e o incrédulo nessa condição? O incrédulo teria um ganho apenas finito, porque só o que ele pôde usufruir foi do que ele obteve enquanto viveu, enquanto que o crente não teria uma grande desvantagem, porque sua perda será apenas finita também, uma vez que nada mais há para se perder após a morte. Ou seja, não haveria nenhum prejuízo para ambos neste caso. Porém supondo que a vida eterna existe realmente, o quadro mudará dramaticamente, pois o crente receberá um lucro eterno em prol apenas de uma perda finita, enquanto que o incrédulo sofrerá uma perda eterna em prol de um lucro temporal.

Jesus Se Fez de Escravo Para Nos Tornar Livres

Eis aqui uma outra situação que nós encontramos, também com uma mensagem paradoxal. Trata-se do cego de nascença que Jesus curou untando os seus olhos com barro.

João 9:5-7

Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego. E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo.

O que nos chama atenção nessa passagem é que esse milagre ocorreu num sábado, que segundo a lei, nenhum judeu deveria trabalhar. Isso era um sinal da aliança do Sinai que Deus havia dado ao Seu povo com várias finalidades. Uma delas visava recobrar de Israel a dignidade perdida em razão da humilhante tarefa de ter que todos os dias durante o cativeiro egípcio, trabalhar como escravo em meio ao barro para confeccionar tijolos para construções.

Êxodo 1:13-14

E os egípcios faziam servir os filhos de Israel com dureza; assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza.

Portanto aquilo que uma vez foi símbolo de humilhação, Jesus agora paradoxalmente estava usando isso para convertê-lo em um objeto de honra e dignidade. Sendo assim, o barro trazia para o judeu recordações humilhantes, mas Jesus agora faz uso daquilo que outrora foi um objeto de humilhação, para se tornar em um instrumento de graça, de bênção e de vitória a um filho de Deus cego das vistas. E assim faz Cristo com toda a Sua Igreja. Jesus deixou a Sua posição gloriosa que ocupava junto ao Pai justamente para Se humilhar, fazendo-Se homem pecador entre nós. Ao agir semelhante a um daqueles escravos judeus do Egito, fazendo barro com as Suas mãos, Jesus estava nos dizendo com isso que Ele veio justamente para mudar o quadro dos filhos de Deus, Se fazendo de escravo para que hoje pudéssemos ser livres. Jesus Se fez de vencido para que fôssemos vencedores; Se humilhou para que fôssemos exaltados; Se fez de fraco para que fôssemos fortes; de conquistado para que fôssemos conquistadores. Ele se fez de pobre para que fôssemos ricos; Ele Se fez de maldito para que fôssemos abençoados. Ele Se esvaziou para que você fosse cheio. Então a mensagem que Jesus quis transmitir com aquele milagre era de que a mesma situação que Satanás tenta usar para envergonhar os filhos de Deus, Deus pode usar para engrandecê-los. Satanás tentou matar o Filho de Deus, porém Deus converteu a morte do Seu Filho em Vida eterna para todos nós. Aquilo que foi usado para nos humilhar, Deus agora usa para nos exaltar. Satanás tentou matar Jesus para que Ele fosse esquecido; mas Deus deixou que o Seu Filho morresse para que Ele fosse para sempre lembrado. Como Hamã que morreu na própria forca que ele preparou para Mordecai, Satanás foi derrotado na própria cruz para onde ele enviou Jesus Cristo; portanto aquilo que o diabo fez para derrotar o Filho de Deus, acabou provocando a sua própria derrota.

Procure entender agora aquela Escritura de Isaías 54:17 que diz:

Toda arma forjada contra ti não prosperará; toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenará; esta é a herança dos servos e o seu direito que de Mim procede, diz o Senhor.

Isso porque o mesmo mal que Satanás tenta provocar contra o eleito, Deus pode usar isso ao seu favor. Isso é um paradoxo.

Lembre-se, portanto, que Jesus disse que veio para servir e não para ser servido, e quando servimos a Ele nos tornamos servos de Cristo.

Todos os Dias da Nossa Vida (12/06/1959) § 27, 28 [sem tradução]

O Espírito Santo falando nas Escrituras esta noite, disse que poderíamos servi-Lo todos os dias de nossa vida em santidade diante Dele; isso é limpeza, santidade. Mas hoje você pode mencionar a palavra "santo", e as pessoas riem disso. Vê como Satanás tem tudo arrumado? Mas você é um escravo. E se você é um cristão, você é um escravo. Você é um servo do Senhor Jesus... E se você atentar para a carne, você é um escravo do diabo, e você crucificará a alma que está em você. Pois a Bíblia diz: "A alma que pecar, essa alma morrerá". E você tem que crucificar a carne a fim de ser um servo em sua carne para ser um servo de Jesus Cristo. Então você é um escravo, de qualquer maneira que você toma isso. E você... Você não pode fugir disso... (Sim, ou nos tornamos escravos de Cristo ou escravos do diabo. E como já vimos, os fardos de uma escravidão com Cristo são muito mais leves do que os fardos de uma vida que é escrava do diabo.) ...Isso é difícil. Mas somos escravos, e queremos servir a Ele todos os dias da nossa vida. Um escravo é um servo. Para ser servo de Jesus Cristo, você tem que ser um escravo para si mesmo, crucificar... Oh, Deus, deixe isso penetrar. Crucifique a si mesmo e a sua carne, e os seus desejos, para que Deus se apodere do Seu coração para movê-lo e motivá-lo. Assim é o escravo de Cristo, o chamado escravo - Paulo chamava isso. Ele disse que ele era um escravo do Senhor Jesus, um servo a serviço do Senhor Jesus, diariamente, crucificando a carne para ser escravo de Jesus Cristo, regozijando-se por ser escravo. É isso aí.