Será Que o Irmão Branham Pregou Arianismo?

29/07/2018

Será Que o Irmão Branham Pregou Arianismo?

29 de julho de 2018

Santiago-RS

Diógenes Dornelles

O irmão Branham disse que não era unicista e nem trinitário, embora ao longo dos anos ele tivesse companheirismo com diferentes ministérios que criam nessas duas correntes doutrinárias. No início de sua conversão, enquanto congregava na igreja do pastor Roy Davis - que provavelmente deveria ser um trinitário - o irmão Branham pôde se familiarizar com o pensamento das três pessoas da Divindade, filiação eterna, etc. Mas quando o Senhor lhe chamou para o ministério, ao mesmo tempo Deus preparou o Seu servo, capacitando-lhe para dar um entendimento doutrinário correto. Ele comentou certa vez sobre o tempo em que o ensino trinitário lhe fazia pensar de uma maneira incorreta, até que o Senhor lhe esclareceu as Escrituras.

O Primeiro Selo (18/03/1963) §§ 14-15

Cristo é a revelação de Deus. Ele veio para revelar Deus, porque Ele e Deus eram o mesmo. "Deus estava em Cristo reconciliando Consigo o mundo." Em outras palavras, nunca se soube exatamente o que Deus era, até que Se revelou através de Cristo; então pôde-se ver. Eu achava, anos atrás, que talvez Deus estivesse irado comigo, mas que Cristo me amava. Vim a descobrir que é a mesma Pessoa, veja. E Cristo é o próprio coração de Deus.

Mui provavelmente ele deve estar se referindo ao tempo em que congregava na igreja do irmão Roy Davis como um simples membro, uma vez que esse tipo de pensamento é próprio dos trinitários. Isso me faz lembrar de um professor de escola bíblica da antiga denominação pentecostal trinitária a qual eu pertenci, que certa vez confidenciou para mim que estava aflito ao pensar que o Espírito Santo estivesse magoado com ele por quase não ser referido em suas orações. Ele me disse: "Tenho orado bastante para Deus e também para Jesus, mas muito pouco para o Espírito Santo. Será que Ele estaria bravo ou triste comigo?" Esse é um dilema que muitos trinitários enfrentam, pois como para eles Deus são três pessoas, então tem de haver um esforço muito grande para satisfazer a todos os três, de forma a nenhum deles sentir ciúmes um do outro.

Adoração a Cristo

Mas o irmão Branham foi levado pelo Espírito Santo a conhecer e crer no que as Escrituras falavam, e uma das passagens que ele mais mencionou ao longo do seu ministério foram as Palavras de Jesus quando disse: "Eu estou no Pai e o Pai está em Mim". Portanto, para o irmão Branham seria impossível alguém orar ou mesmo adorar a Jesus Cristo aparte de Deus, porque o Pai está Nele. Como poderia alguém adorar a Deus sem estar ao mesmo tempo adorando ao Seu Filho Jesus Cristo? O irmão Branham expôs o seu entendimento sobre isso muito sabiamente da seguinte maneira:

Por que a Pequena Belém? (14/12/1963) § 127

Eu adoro a Deus quando eu adoro a Jesus Cristo.

Isso porque tanto o Pai estava no Filho como o Filho está no Pai. Como o irmão Branham disse, foi através de Jesus que Deus pôde ser revelado e conhecido para nós.

Por que Tinha Que Ser Pastores? (21/12/1964) § 98

Você sabe o que Deus é quando você vê a Cristo.

Deus Nunca Pôde Ser Visto

Jesus foi a manifestação visível de Deus, mas não se esqueça que Deus mesmo jamais pôde ser visto, e nem pode ser.

1 Timóteo 6:16

Aquele que tem, Ele só, a imortalidade, e habita na luz inacessível; a Quem nenhum dos homens viu nem pode ver, ao qual seja honra e poder sempiterno. Amém.

Se Paulo alguma vez tivesse ensinado que Jesus era o próprio Deus, então ele jamais poderia ter dito que nenhum homem viu Deus, mas como ele não fez do Filho a própria Deidade, então não pode haver nenhuma contradição nessas suas palavras.

Mudando o Sentido das Palavra de William Branham

Porém alguns estão usando aquelas palavras do irmão Branham em "O Primeiro Selo" para dar um outro sentido a elas. Alguns alegam que no começo de seu ministério de ensino o irmão Branham pensava e ensinava como as Testemunhas de Jeová, e que depois de algum tempo, Deus teria corrigido a sua doutrina e o seu modo de ensinar. Embora tal tipo de pensamento mencionado por ele também pudesse se assemelhar ao arianismo, não era para isso que o irmão Branham estava se referindo. O irmão Branham nunca foi um ariano ou testemunha de Jeová, embora conversasse amigavelmente com eles.

O Caminho da Vida (21/06/1962) § 46 [Sem tradução]

Ele disse: "Bem", ele disse: "Vou lhe dizer, Sr. Branham", ele disse, "nós fomos criados nas Testemunhas Jeová". Eu disse: "Isso é muito bom". Eu disse: "Eu preferiria ser um russellita do que não ter nenhuma luz de modo algum", e prossegui assim, sem desconsiderar nada do que ele - ele havia dito, e conversei com ele da melhor maneira que eu pude.

Se ele tivesse sido um ariano no passado, como alguns unicistas da Mensagem estão sugerindo, com certeza ele o mencionaria para aquele irmão como um argumento a mais para se aproximar dele, porém o irmão Branham nunca foi.

Portanto ele não estaria ali dizendo que no passado ele cria ou ensinava como as testemunhas de Jeová, mas com certeza estava se referindo ao pensamento trinitário com que ele se deixou envolver nos seus primeiros anos de conversão, e ao longo daquele mesmo sermão, ele nos deixará saber que era do pensamento trinitário que ele estava se referindo.

O Primeiro Selo (18/03/1963) § 269

Agora, esse é um dos mistérios dos últimos dias, como Cristo pode ser as três pessoas em Uma. Não são três pessoas diferentes, Pai, Filho, e Espírito Santo, sendo três Deuses, como os trinitários tentam nos dizer que é. São três, são três manifestações da mesma Pessoa.

O Irmão Branham Nunca Corrigiu o Seu Ensino Sobre a Deidade

O falso pensamento que alguns vem agora sustentando, de que o irmão Branham havia sido no passado um ariano e que depois Deus o livrou de tal doutrina, visa tentar convencer os demais crentes da Mensagem a não dar crédito a muita coisa que ele ensinou e que, segundo alguns, estaria errado porque ele ainda não possuía a total revelação. Porém nós já mencionamos várias vezes o irmão Branham dizendo que ele nunca precisou corrigir o seu ensino.

Contagem Regressiva (9/09/1962) § 11

Então eu, nestes trinta - por estes trinta e dois anos de ministério, eu tenho tentado ficar fiel à Palavra. EU NÃO SEI DE NADA QUE EU ALGUMA VEZ TIVESSE QUE ALTERAR, porque eu somente li isto da Bíblia, disse somente o que a Bíblia diz. E deixo isto ir desta maneira. Então EU NÃO TENHO TIDO QUE VOLTAR OU REAJUSTAR, porque eu simplesmente digo isto da maneira que a Bíblia o diz.

A Semente Não é Herdeira Com a Palha (18/02/1965) § 26

EU NUNCA MUDEI NENHUM IOTA EM MINHA DOUTRINA. A primeira coisa com que eu comecei, (Ou seja, desde quando ele começou a ministrar) eu ainda creio na mesma coisa esta noite.

O irmão Branham disse que Deus pode acrescentar mais revelação sobre um assunto para que o Seu povo obtenha um entendimento maior, mas isso não seria para alterar o que Deus já lhe revelou.

Uma Exposição das Sete Eras da Igreja pág. 66

Foram os apóstolos que trouxeram a Palavra original ao povo. Essa Palavra original não podia mudar, nem mesmo um ponto ou traço dela. Paulo sabia que era Deus Quem lhe falara, por isso disse: "Se eu mesmo chegar e procurar dar uma segunda revelação, procurar fazer uma pequena mudança naquilo que dei originalmente, que eu seja anátema." (Ora, então se alguns nessa Mensagem estão tentando dizer que o irmão Branham teve que mudar o seu ensino original sobre a Divindade e dar uma segunda revelação - porque a anterior que ele tinha estava errada - então eles estão fazendo de William Branham um anátema, pois era o que ele seria se tivesse mudado o seu ensino) Veja, Paulo sabia que a primeira revelação era a correta. Deus não pode dar uma primeira revelação, e depois uma segunda revelação. (Mas acredite, é isso que alguns ministros nessa Mensagem estão sugerindo que Deus fez ao Seu profeta) Se o fizesse, Ele estaria mudando Sua mente. Ele pode dar uma revelação e depois acrescentar a ela, como fez no Jardim do Éden, quando Ele prometeu a Semente à mulher, e então mais tarde especificou que aquela Semente teria de vir através de Abraão, e depois mais tarde disse que viria através da mesma linhagem de Davi. Mas era a mesma revelação. Aquilo somente dava mais informação às pessoas para ajudá-las a recebê-la e compreendê-la. Porém a Palavra de Deus não pode mudar. A Semente veio exatamente como foi revelado. Aleluia. E veja o que aqueles falsos profetas estavam fazendo. Eles vieram com sua própria palavra. Aqueles efésios conheciam aquela Palavra como Paulo a tinha ensinado. Eles estavam cheios do Espírito Santo pela imposição das mãos de Paulo. Eles olharam aqueles falsos apóstolos nos olhos e disseram: "Vocês não estão dizendo o que Paulo disse. Portanto, vocês são falsos." Oh, isso incendeia meu coração. Volte à Palavra! Não é você que realmente põe à prova o apóstolo, e profeta e mestre, é a Palavra que os põe à prova.

Portanto quando ele disse: "Eu achava, anos atrás, que talvez Deus estivesse irado comigo, mas que Cristo me amava.", com certeza isso não havia sido algo que ele houvesse ensinado ou ministrado, mas devia ter sido algo que ele pensava logo após a sua conversão ou até mesmo antes disso.

O Pai e o Filho São Dois Seres Sobrenaturais

Porém ministros mal-intencionados querem inutilizar certas coisas que o irmão Branham disse porque não suportam crer em tudo que ele falou. E uma das coisas que tais ministros da Mensagem mais odeiam em William Branham, é a sua declaração de que o Pai e o Filho são dois Seres ou duas Pessoas.

Atitude e Quem é Deus? (15/08/1950) § 18

Posso ver esta pequena Luz sair. Agora nós temos DOIS. O Pai, e do Pai veio a Luz, o Filho.

Atitude e Quem é Deus? (15/08/1950) § 20

O primeiro Homem você não pode vê-Lo: Deus. O segundo Homem era um Halo(O Filho de Deus) E agora Ele toma um terceiro homem (este é Adão, o homem espírito) e o faz como uma pequena nuvem branca, surgindo...

Eram dois conversando antes da criação quando o Pai habitava na teofania de Seu Filho, e continuou sendo dois conversando quando o mesmo Pai esteve encarnado em Jesus.

Jesus Cristo é o Mesmo Ontem, Hoje e Eternamente (22/09/1957) § 8

Eles não podiam entender: uma hora era Deus falando, outra hora era Jesus falando, (Isso porque eram dois) e Ele era uma dupla personalidade, como se diz. Cristo parecia ser uma dupla personalidade. Às vezes Ele falava e eles coçavam suas cabeças, e eles não O compreendiam. Ele falava uma coisa uma hora, parecia, e outra coisa outra hora. O que era isso? Era Jesus falando, e depois Cristo falando. Jesus era o homem. (O Filho de Deus) Cristo era o Deus que estava Nele.

Ou seja, havia um Ser dentro de um outro Ser. Mas como dissemos, os unicistas não suportam ler isso.

Semente de Discrepância Nº. 15 (05/11/1995) § 22 - Lee Vayle [Sem tradução]

Agora ele disse, que ele soprou no... agora, o primeiro Homem categoricamente seria Deus, o segundo Homem seria Jesus. Agora, eu sei que os Só-Jesus não conseguem suportar isso...

Tanto não suportam que eles agora tentam colocar palavras na boca do irmão Branham para fazê-lo dizer: "Eu fui um ariano no passado; eu pregava arianismo; mas graças a Deus que Ele corrigiu o meu ensino".

A doutrina trinitária ensina que o Pai e o Filho são um só Ser manifestado em duas Pessoas eternas, enquanto o irmão Branham ensinava que Deus era um Ser sobrenatural e que quando Ele deu à luz ao Seu Filho antes da criação, estaria ali gerando a um outro Ser sobrenatural, portanto são dois Seres.

Mostra-nos o Pai e Isso Nos Bastará (11/06/1953) § 65

E quando Ele fez tudo o que parecia agradável e bom para Ele, agora Ele disse: "Façamos (plural) façamos o homem (plural) à Nossa própria imagem". (Por duas vezes ele chama a atenção do verbo estar na primeira pessoa do plural "nós". Quem seriam esses dois? O Pai e o Seu Filho, e ele irá especificar isso agora.) O que Ele era? Aí está um Ser sobrenatural. (Este que o irmão Branham se refere é Deus) Aí está Aquele que não podia ser visto. Deus o Pai nunca foi visto, nunca será visto. Ele é todo o universo. E ali está Ele. E agora, aqui está o Filho, que é o Logos que saiu Dele, feito à Sua imagem, um Ser sobrenatural que saiu no princípio.

O irmão Branham aqui está afirmando que Deus é um Ser sobrenatural porque Deus é Espírito. Porém esse mesmo Ser sobrenatural gerou um outro Ser sobrenatural que saiu Dele e que foi o Seu Filho, o Qual era aquele Logos que saiu de Deus no princípio em uma teofania. Em nenhum momento o irmão Branham disse que o Pai e o Filho seriam esse mesmo Ser sobrenatural como alguns querem pensar. Embora ele mencionasse que a unidade entre o Pai e o Filho era tão perfeita que fazia dos dois um só, sendo o mesmo Ser e a mesma Pessoa, isso nunca anulou o seu ensino de que o Filho de Deus era um outro Ser.

Perguntas e Respostas Sobre Gênesis (29/07/1953) § 15

Bem agora, se você notar atentamente agora, em Gênesis 1:26, primeiro vamos tomar a primeira parte. Deus disse: "Façamos...". Agora, "façamos", nós é uma... "Façamos o homem à Nossa própria imagem". "Nossa", claro, nós entendemos que Ele está conversando com Alguém; Ele estava falando a um outro Ser.

Então se Deus estava conversando com alguém, significa que não era com Ele mesmo, com o Seu próprio Ser, mas com um outro Ser, O qual era o Seu Filho.

Perguntas e Respostas Sobre Gênesis (29/07/1953) § 43

E então Ele fez esta pergunta agora: "Vamos (Quem? Pai e Filho) vamos fazer o homem à Nossa própria imagem".

Neste sermão "Perguntas Sobre Gênesis" o irmão Branham deixa bem claro que Deus e o Seu Filho são dois Seres. Mas porque o irmão Branham disse no sermão "O Primeiro Selo" que o Pai e o Filho são a mesma Pessoa, eles tentam falsamente usar essa declaração para dizer que ele estaria corrigindo um erro no passado, ao ter supostamente pregado uma doutrina ariana. Porém eles esquecem de dizer a você que exatamente no mesmo sermão em que o irmão Branham dizia que o Pai e o Filho eram dois Seres, também declarava que ambos eram a mesma Pessoa.

Mais adiante, ainda no mesmo sermão, ele irá dizer o seguinte:

Perguntas e Respostas Sobre Gênesis (29/07/1953) § 180

E houve três dispensações: a Paternidade (Desde a criação de Adão Deus expôs o Seu ofício de "Pai"), a Filiação (desde o batismo do Jordão, quando Deus Se encarnou em plenitude no Seu Filho Jesus Cristo, Ele passou a usar a identidade do Seu Filho, passando-Se por filho) e a dispensação do Espírito Santo (Desde o pentecostes quando Deus passou a habitar em vários filhos em uma medida. O irmão Branham cria em três dispensações de tempos em que Deus Se manifestou, porém Deus não Se manifestou em três pessoas diferentes. Nessas três dispensações, era sempre o mesmo Deus em manifestação). Vê o que eu quero dizer? Mas todos esses três... Nós não dizemos "nossos Deuses". Isso é pagão, e o judeu sabe disso. Mas quando você pode tornar isso para ele que este Jesus é Deus, Jeová Deus, não uma segunda pessoa ou uma terceira pessoa; é a mesma Pessoa o tempo todo tornando-Se manifesto... Vê?

Então agora me explique como seria possível que anos mais tarde o irmão Branham usaria essa mesma afirmação para combater seu antigo pensamento ariano, se nos mesmos dias em que ele supostamente pregava arianismo, já estava dizendo que o Pai e o Filho eram a mesma Pessoa? Compreende agora o sofisma dos unicistas da Mensagem?

De Que Maneira o Pai e o Filho São a Mesma Pessoa?

Então precisamos entender que quando o irmão Branham ensinava que o Filho e o Pai eram a mesma coisa ou a mesma Pessoa não se tratava de alguma correção ao que ele dizia outras vezes de que são dois Seres, e tampouco há alguma contradição nessas duas afirmações. Jesus era a expressão exata do Pai, um reflexo perfeito de todos os Seus atributos, por ser uma parte de Deus. O irmão Branham disse que o que tornava ambos um era o fato de o Filho ser a imagem perfeita de Deus.

Identificação (23/01/1963) § 100 [Sem tradução]

A natureza sem pecado expressou tanto a Palavra de Deus, que Ele e a Palavra eram Um. Ele disse isso. "Eu e Meu Pai somos Um. Eu sempre faço o que agrada. Eu e Meu Pai somos apenas Um". Ele era tão perfeito à imagem de Deus até que Ele e Deus fossem a mesma coisa. Ele era a carne, o Filho, que expressava a Deidade de Deus.(Toda a Deidade estava expressa em Seu Filho Jesus Cristo) Então isso fez Dele a Deidade em um Homem, a fim de redimir um homem.

Para o irmão Branham, dizer que o Pai e o Filho eram o mesmo, significava também dizer que ambos eram a mesma Pessoa de Deus em manifestação. Só existe uma Pessoa na Divindade, e quando essa Divindade Se encarnou no Seu Filho de modo que Jesus pudesse refleti-Lo, isso não permitiu que ninguém visse duas Pessoas curando, pregando e fazendo sinais, mas apenas uma Pessoa, pois como Jesus disse, não era Ele Quem produzia aqueles sinais, mas o Pai que estava Nele, e Jesus não estava fazendo nada diferente do que Deus Lhe mandou fazer. Sendo assim, Deus era a única Pessoa em manifestação sendo declarada e conhecida entre os homens, enquanto o Filho estava totalmente submetido.

Senhores, Queríamos Ver a Jesus (24/12/1961) § 24-1

Agora, o credo diz: "Eu e Meu Pai somos três", mas a Bíblia disse, e Jesus disse: "Eu e Meu Pai somos Um". Isso é maravilhoso. Veja como Deus Se fez carne (Aleluia), não uma segunda, terceira ou quarta pessoa, mas o próprio Deus. Jesus disse isso. Discuta com Ele, não comigo; estou apenas dizendo o que Ele disse. "Eu e Meu Pai somos Um. Não sou Eu que faço as obras, é Meu Pai, Ele habita em Mim. Se vocês não Me creem, creiam na Palavra, porque Ele é a Palavra e a Palavra foi feita carne e sou Eu. No princípio era a Palavra". Este mesmo evangelista, João, disse: "No princípio era a Palavra e a Palavra estava com Deus, e a Palavra era Deus. E a Palavra se fez carne e habitou entre nós". Isso faz Dele e Deus a mesma Pessoa se Deus é a Palavra e Ele é a Palavra; "Eu e Meu Pai somos Um", então. Oh, isso é maravilhoso. Sim senhor. Tantas coisas que poderíamos dizer sobre isso. Maravilhoso, coisas que Ele disse.

Mas nada disso nega o fato de que são dois Seres.

A Mensagem da Graça (27/08/1961) § 80

Deus é um Espírito e Ele não pode morrer. Então Deus teve que ser feito homem, e Ele morreu em carne humana na forma de um homem chamado Jesus Cristo, e esse foi o Messias prometido que comprou a graça. Aí é onde você vê que Deus e Cristo são a mesma Pessoa, Deus habitando em Cristo. (Isso torna os dois o mesmo) "Eu e Meu Pai somos um, Meu Pai habita em Mim. Não sou Eu Quem fala a Palavra, mas o Meu Pai que habita em Mim". Deus em Cristo, certamente...

O Pai e o Espírito Santo São o Mesmo Deus

Não há absolutamente nenhuma declaração que o irmão Branham tivesse feito alguma vez no passado que comprovasse que ele havia pregado arianismo. Se o irmão Branham fosse um ariano, ele precisaria ter negado que o Espírito Santo fosse Deus. Os arianos negam que o Espírito Santo é uma Pessoa, e muito menos o próprio Deus. Pois o irmão Branham sempre ensinou que o Espírito Santo era a própria Pessoa de Deus, e não duas pessoas distintas como querem os trinitários.

Vida Eterna e Como Recebê-La (31/12/1954) § 91 [Sem tradução]

Quando você crê, você recebe a Vida Eterna. E a Vida Eterna é Deus, e Deus é o Espírito Santo. Isso está certo? Se Deus e o Espírito Santo não são a mesma Pessoa, Jesus teve dois pais. Jesus disse que Deus era o Seu Pai, e a Bíblia diz que o Espírito Santo era o Seu Pai, então ambos foram a mesma Pessoa.

A trindade não ensina isso, e muito menos os arianos, então o irmão Branham não poderia ter sido nenhum dos dois.

A Revelação de Jesus Cristo (4/12/1960) § 176

Jesus não poderia ser Seu próprio Pai. Tampouco, se Ele tivesse um pai além do Espírito Santo, então Ele seria um filho ilegítimo. E não... O Espírito Santo O concebeu, e Ele disse que Deus era o Seu Pai. Assim o Espírito Santo e Deus... Isso é Mateus 1:18. Se... O Espírito Santo e Deus têm de ser a mesma Pessoa, ou Ele teve dois pais.

A Era da Igreja de Sardes (09/12/1960) § 88 [sem tradução]

Quantos sabem que Deus é um só Espírito? Certamente. Deus, o Espírito Santo. Deus, Pai, Espírito Santo, tudo a mesma Pessoa, porque Maria foi concebida pelo Espírito Santo.

Mas o Filho foi a imagem visível de Deus; Ele foi o Seu representante, e foi somente por representação que Deus poderia morrer.

A Palavra Tornou-Se Carne (03/10/1954) § 74

Eles não podiam entender como aquele homem santo poderia alguma vez - ser o que dizemos, o cristão diz - morreria. Eu disse: "A razão pela qual Ele teve que morrer foi para tirar os nossos pecados". Eu disse: "Ele não era uma terceira pessoa, ou uma segunda pessoa". Ele era a mesma Pessoa, feito carne para tirar o nosso pecado".

Deus é Um Ser Infinito

Então embora o irmão Branham dissesse que o Pai e o Filho fossem a mesma Pessoa, Ele fez uma distinção entre os dois, atribuindo a Deus coisas que o Filho não é, por conta de ser um Filho.

Companheirismo (11/06/1960) § 19 [sem tradução]

Agora, Deus simplesmente não é como o seu - como o ar. Se ele fosse, você nunca teria que buscar pelo Espírito Santo: isso estaria em você, porque Ele preencheria todo o espaço e as coisas. Deus é onipresente, com certeza, por ser onisciente, sabendo todas as coisas. Mas Deus tem um lugar de habitação, porque Ele é um Ser. Exatamente certo. E Deus habita em companheirismo sob o Sangue derramado de Seu Filho, e só nisso. Amém. Não sobre a nossa denominação ou filiação, mas é sobre o Sangue derramado que nós encontramos Deus face a face.

Jesus disse: "Ninguém vem ao Pai senão por Mim".

Adoção 3 (22/05/1960) § 50

Ele é onipresente porque é onisciente. Ele sabe tudo porque é infinito, sendo infinito O torna onipresente. Sendo onipresente, então, sendo infinito, então, Ele Se assenta nos céus. Ele habita em um lugar porque Ele é um Ser. Mas, sendo infinito, então Ele conhece todas as coisas. (...) Ele conhece todo pensamento que está em sua mente, porque Ele é infinito e onisciente. Isto é, Ele não apenas é infinito, Ele é onisciente, Ele sabe tudo. Mas Ele é um Ser, Deus é um Ser.

Não Foi Assim Desde o Princípio (06/03/1960) § 10

Agora, Deus é onipotente, onipresente. Por ser onisciente, torna-O onipresente; Ele sabe todas as coisas. Mas Deus não poderia ser como o ar é, porque Deus tem uma morada. Deus não é um mito. Deus é um Ser: Deus, Jesus. Ele, Deus, (pronome), Ele é um Ser. Portanto, Ele é onisciente, onipresente, onipotente e infinito.

Agora, será que o irmão Branham aqui está falando que Jesus, o Filho, é um Ser infinito? Isso não seria possível, pois do contrário Ele teria que ser um Filho eterno, e o irmão Branham disse que a doutrina trinitária da filiação eterna é falsa. Portanto Jesus teve que ter um princípio.

Perguntas e Respostas Sobre Hebreus nº. 2 (02/10/1957) § 385

Não pode haver um filho eterno, porque um filho teve que ter um princípio. E então Jesus teve um princípio; Deus não teve princípio. Vê? Mas o Filho era o... Não filiação eterna, mas o Filho que estava com o Pai no princípio era o Logos que saiu de Deus.

Sedento Por Vida (30/06/1957) §§ 11-12 [Sem tradução]

Eles usam a palavra da "filiação eterna de Deus". A palavra nem mesmo faz sentido para mim. A palavra "eterno" quer dizer "eternidade, que não teve começo ou que não tem fim". E "filho" quer dizer que "teve um começo". Então como poderia... poderia ser uma Divinidade eterna, mas nunca uma filiação eterna. Um filho é alguém que é gerado de algo. Então teve um princípio.

Mostra-nos o Pai e Isso nos Bastará (11/06/1953) §§ 62-63 [Sem tradução]

E então aqui vem o Logos. Isso parecia um Halo pendurado lá adiante. Ninguém jamais viu a Deus em tempo algum agora, olho no olho. E aqui está o Logos. Parece que é um Ser sobrenatural. É um Halo. Esse é o Filho de Deus. Não Filiação eterna, porque as palavras não andam bem juntas. Essa é a doutrina católica, mas... eterno, como poderia ser uma Filiação e ser eterno? Se Ele é um Filho, Ele teria que ter um princípio de tempo. Eterno é para sempre. Vê? Então Filiação eterna, não há tal palavra para tornar isso lógico.

Então quando o irmão Branham chamou Deus de um Ser infinito, isso não poderia estar sendo atribuído também à Pessoa ou ao Ser do Filho, porque como vimos, Jesus, o Filho de Deus, teve um princípio, e "infinito" significa alguém que não teve um princípio de dias, como Deus.

O Batismo do Espírito Santo (28/09/1957) § 50

Oh, o nosso Deus não é algo pequeno, empurrado em um canto, mas Ele é o Deus infinito que nunca teve um começo ou nunca terá um fim.

Por Que Não Somos Uma Denominação (27/09/1958) § 10

Tu és para toda a eternidade, e desde toda a eternidade, Tu és Deus. Tu nunca tivestes um começo de dias nem fim de vida, Tu sempre serás. E, Pai, sendo Tu infinito, e nós finitos, então pedimos por Tua misericórdia Divina.

Os Dois Jesus

Mas então por que o irmão Branham disse que Jesus é Deus e um Ser infinito? Ninguém entenderá isso se desconsiderar o ensino do irmão Branham de que o Pai e o Filho são dois Seres sobrenaturais, e por conta disso, ambos possuem o mesmo nome. E se são dois, então existem dois Jesus.

Senhores, Queríamos Ver a Jesus (12/06/1958) § 55

Quando Ele esteve aqui na terra, quantos sabem que aquele era a Coluna de Fogo que seguiu os filhos de Israel no deserto, que era Cristo, o Anjo da Aliança? Tudo bem. E quantos sabem que aquele era Jesus em Jesus, aquele mesmo Espírito?

Então havia um Jesus habitando em um outro Jesus. Um era o Jesus Espírito, e o outro era o Jesus Cristo Homem. Era o Jesus infinito sem princípio de dias habitando em um outro Jesus que teve um princípio. Isso não é arianismo, nem trinitarianismo e muito menos unicismo. Mas o irmão Branham disse que Jesus, o Filho de Deus, não veio para tornar conhecido a Si mesmo, mas somente a Jesus, o Seu Pai.

Uma Exposição das Sete Eras da Igreja, pág. 300

O Novo Testamento não revela um OUTRO Deus, é uma revelação adicional do ÚNICO E MESMO DEUS. Cristo não desceu para dar a conhecer a Si Mesmo. (Ou seja, Jesus não Se apresentou como um segundo deus, como ensina os trinitários, ou um deus menor como ensina os arianos) Ele não veio para revelar o Filho. Ele veio para revelar e dar a conhecer o Pai. (Isso só é possível porque como ambos tinham a mesma natureza, Espírito, substância, glória, etc., ambos, o Pai e o Filho, Se mostravam como sendo uma única e mesma Pessoa, ainda que fossem dois Seres) Ele nunca falou de dois Deuses; Ele falou de UM só Deus. (Jesus não veio para tornar conhecido a Si mesmo, mas apenas a Divindade, e só há uma Pessoa na Divindade) E agora nesta última era, voltamos à revelação de coroamento, a mais importante revelação da Divindade em toda a Bíblia, que é: JESUS É DEUS; ELE E O PAI SÃO UM: HÁ UM ÚNICO DEUS, E SEU NOME É SENHOR JESUS CRISTO.

O Nome de Deus se chama Jesus, que é o mesmo nome que Ele deu ao Seu Filho, e porque ambos têm o mesmo nome, essência, glória, Espírito, unção, etc., eles Se tornam o mesmo Ser e a mesma Pessoa. Mas isso que o irmão Branham disse jamais deveria ter sido usado para negar a existência desse Filho, porque Deus tem um Filho, e este Filho não era o próprio Pai, mas foi enviado pelo Pai.

A Manifestação do Espírito (17/07/1951) § 47

Jesus disse: "Como você crê em Deus, creia também em Mim". É isso mesmo? Eles eram crentes em Deus, criam em Seu Pai, mas eles devem crer que Ele era o Filho enviado pelo Pai (é isso mesmo?) não o Pai, (O irmão Branham aqui é categórico: "O Filho não é o Pai") mas Ele era o Filho enviado pelo Pai. (Jesus não era o Seu próprio Pai, embora o Pai que O enviou do Céu estivesse com Ele) ...Vê você que eu dou louvor a Jesus Cristo e a Deus?

Mas se você faz do Filho a mesma Pessoa e o Ser do Pai você fará Dele o Seu próprio Pai.

Gafanhoto, Locusta e Lagarta (23/08/1959) §§ 140-142 [Sem tradução]

"Deus o Pai, Deus o Filho, Deus o Espírito Santo". (Ele está citando a doutrina trinitária) Agora, absolutamente, não existe tal coisa. Não existem três Deuses. Isso é paganismo. Existem três ofícios do mesmo Deus. A Paternidade... quando Deus habitou só, santo; Suas leis, Sua justiça O torna santo. Ele queria estar no homem; Ele queria adorar com o homem; Ele queria que o homem O adorasse. Ele teve que vir ao homem. E então quando Ele veio, Ele criou, sombreou sobre uma pequena virgem chamada Maria (Deus Jeová fez) e criou em seu ventre uma célula, célula de Sangue, esta célula de Sangue desenvolveu células, e produziu um Homem, o qual foi Cristo Jesus. O Deus Todo-Poderoso, o Pai, habitou Nele. No dia do batismo, quando Ele recebeu o Espírito Santo no dia em que João O batizou, João disse: "Eu observei e vi o Espírito de Deus descendo como uma pomba do céu, e uma Voz dizendo: 'Este é o Meu Filho amado em Quem tenho o prazer de habitar'." Jesus disse que Deus estava com Ele: "Eu e o Pai somos um. Meu Pai habita em Mim". Não Jesus, e ser um com Deus... (Porém os unicistas citam João 10:30 para dizer exatamente isso, que Jesus é um com Deus no sentido de Deus ser o próprio Filho e vice-versa. Então o irmão Branham não falava a mesma coisa que os unicistas. O Pai e o Filho estão em unidade, mas Jesus não é um com Deus como sendo o mesmo Ser e a mesma Pessoa) mas o Deus estava em Cristo, reconciliando o mundo Consigo mesmo. E vocês irmãos unicistas, muitos de vocês saltam para o caminho errado quando vocês tentam pensar que Deus é um como o seu dedo é um. Ele (Ou seja, Deus) não pode ser o Seu próprio Pai. Ele não pode ser. (Deus não pode ser pai de Si mesmo) Mas Ele é Deus. Deus é o Senhor, o Espírito; Cristo era a casa em que Ele habitou.

Jesus em Jesus! Porém como o Filho está no Pai e o Pai também está em nós, então se o Pai é o Espírito Santo, o Qual é Deus, também teremos a própria Pessoa de Deus dentro de nós em uma medida.

Perguntas e Respostas 3 (30/08/1964) § 83

O Espírito Santo é um Ser; Ele é Deus, Deus em você, a Pessoa, Deus, que acendeu todo o teu ser. Você está transformado; você é uma nova criatura. Qualquer coisa que estiver errado, Ele vai dizer a você que está errado, então saia; não faça isso. "Pai, eu não pretendia fazer isso, me perdoe". Vê? E isso é - isso é o Espírito Santo.

Então Jesus expressava em Sua carne a Deidade de Seu Pai. Era isso que permitia ambos serem um, portanto o Filho era um com a Palavra para também ser um exemplo de unidade que todos os filhos de Deus devem imitar.

Identificação (23/01/1963) § 100 [Sem tradução]

Ele era tão perfeito à imagem de Deus até que Ele e Deus fossem a mesma coisa. Ele era a carne, o Filho, que expressava a Deidade de Deus. Então isso fez Dele a Deidade em um Homem, a fim de redimir um homem. Vê? Ele e a Palavra eram Um. "No princípio era a Palavra, e a Palavra era Deus. E a Palavra se fez carne". Então, Ele e a Palavra se tornaram um, de modo que a Palavra pudesse expressar e mostrar ao mundo aquele Exemplo do que o homem deveria ser.

E assim, vemos que o irmão Branham está no mostrando que Jesus possuía uma identidade e união com Deus para que os outros pudessem tomar isso como um exemplo para que os demais filhos O imitassem, a fim de que a Igreja também pudesse ser um com Deus assim como era com o Seu Filho, e termos todos o mesmo coração, da mesma maneira que Cristo é o próprio coração de Deus.